Devido à actual conjuntura este espaço encontra-se em insolvência por tempo indefinido.

quarta-feira, 2 de abril de 2008

...crónica do Bola7 de Angarna....

Viva caros colegas praticantes deste grandioso desporto, ou seja o BTT, para quem ainda não tenha percebido.
Além de mais deixem-me pedir desculpa pelo atraso da crónica, mas a inspiração andava um pouco longe.
Venho-vos falar da última aventura dos Bikesurfers, que por consideração ao Marco Guerra e ao pessoal de Angarna (Faísca e companhia), nos levou para Vila Nova de Monsarros e para o respectivo quintal como eles lhe chamam.
Esta aventura remonta ao passado domingo dia 16 de Março de 2008, S. Pedro foi companheiro e o dia que começava com ameaços de algumas gotas acabou por se revelar a favor deste desporto.
No sábado anterior ao passeio decidi ir levantar os dorsais na companhia do Marco de Cadima, aproveitei a viagem para me mentalizar que iria ser algo duro, com 7,5 na escala de empenos, ou seja ao contrário de outros passeios, cama cedo e álcool pouco ou nenhum (mais valia ter bebido, talvez anestesia - se as dores e a vergonha de 5 horas….). Combinei com o pessoal (João Lucas; Luís Varanda; Luís Marques (minha boleia)) no domingo por volta das 07:15 AM (o Luís 07:00AM) coisa que não aconteceu, adormeci…., mas entre pontapé no pé da cama, escorregar no tapete, lavar a cara em agua fria, bicicleta em cima do carro e material carregado mais coisa menos coisa há hora combinada lá estávamos, no ponto de encontro (padaria do Silito), pequeno-almoço tomado, partimos em direcção a Cadima onde apanhámos os tremoceiros, mas eis que de repente, o horror, o drama, a vida real……esqueci-me do saco com a roupa, mais uma volta rápida a casa (obrigado Luís, porque não me estava a ver a andar de calções apertados e jersey sujo o dia todo) depois de tantas peripécias as 08:00 estávamos a caminho de Vila Nova de Monsarros, passado 40 minutos chegámos ao local, onde entregámos algumas roupas e brinquedos para o projecto social que o passeio apoiava, devo referir que estranhei, mas a ideia do pinheiro do folar (saco de lembranças) foi algo muito original.
Depois foi um tal de encontrar pessoal conhecido, ou seja a verdadeira festa do BTT, onde não é a competição, nem é o tempo (custa, 5 horas é muito), mas é a festa de encontrar companheiros de outras aventuras, é o convívio de estar, de falar, de rir, de participar, o que realmente caracteriza este tipo de passeios…encontrar amigos que partilham o mesmos gosto pelo BTT.
O passeio começou com previsto por volta das 09:30, com dois momentos muito marcantes, 1º um minuto de silêncio em homenagem a um jovem que foi brutalmente atropelado enquanto andava de bicicleta por um condutor alcoolizado, algo muito sentido entre os participantes, 2º foi a amazona montada em seu cavalo, que com altivez irradiava beleza, despertando o espírito dos BTTistas para a arte do piropo …
Deu-se a partida, com a passagem pela vila. Onde passados 2 km estávamos no mato, mais km menos km mas talvez aí por volta do km 4, um dos acontecimentos do passeio o Lucas numa tentativa de brilharete para a câmara trambolhou, uma queda aparatosa com um resultado final, de um raio descravado, roda empanada e o cromado riscado, após uma lufada de ar fresco lá recuperou e arrancou, tendo parado a seguir para resolver a avaria com um companheiro que ele conhecia, enquanto isso eu e o Luís lá fomos ao nosso ritmo, rapidamente o Lucas ultrapassou-nos, num ponto de lubrificação o Lucas parou para tratar das feridas do corpo, da mente e da bicicleta, voltando numa subida a ultrapassar-nos, entretanto eu e o Luís acabámos por apanhar o Valadão e o João Teixeira para nunca mais os largarmos, entretanto ainda não falei do Varanda porque só o vi no arranque e na chegada já com o banho tomado. Neste percurso exemplarmente marcado pelas subidas épicas e as descidas longas acabámos por chegar ao primeiro ponto de reabastecimento, onde apesar de ser muito completo ainda acabei por provar um copo de tinto da região servido pelo primeiro “boneco” do evento, um individuo devidamente caracterizado que ia arrancando sorrisos dos bttistas, até equipa de reportagem este primeiro reforço, sede saciada, lá fomos para um dos trajectos mais bonitos que já andei, com passagens por valas, uma pequena albufeira, um pequeno paraíso onde era o ultimo posto de reabastecimento, subidas muito, muito… mas mesmo (bem pelo menos para mim) muito duras, descidas longas, mas muito engraçadas single tracks no meio das aldeias, pontos de controlo sempre com um sorriso bonito, e muito agradáveis á vista, diga-se de passagem que foi um a constante durante o percurso.
Acabámos por chegar ao terrível, ao mais que vil, ao purgatório de tentações que foi o 2º reabastecimento, porque, entre dois Picas muito engraçados da CP, havia para meu deleite e de outros ciclistas, queijo amanteigado, alheira a assar, chouriço caseiro assado, presunto, vinho branco e tinto, e acho que havia água, (já estou com fome só de lembrar), lá foram bem 20 minutos á custa deste reabastecimento, tendo eu e o Luís trazido umas lembranças para o Caminho (dois chouriços gentilmente cedidos pelo staff). Mas após este pequeno deleite gourmet descobri que encher muito a barriga e começar logo a subir não da muito jeito, mas tudo se ultrapassa, (se começa a haver o habito de soprar o balão no fim destes passeios estou feito). Logo a seguir ao reabastecimento havia uma pequena subida, que terminava numa descida em single track muito acentuada, nessa descida muito acentuada, havia uma curva com alguma silveiras, que o Valadão quis verificar se tinham espinhos, pelo que o Luís e eu vimos, e pela maneira que ele se encontrava embrenhado nelas, acho que se veio a constatar que realmente tinham espinhos….e muitos. Recomposto do susto, lá continuámos para este misto de subidas e descidas que foi o passeio.
Com aproximadamente 5 horas dei por terminada o passeio, fui tomar o banho em água quente que tão bem me soube, e dirigi-me com o resto do pessoal, para o almoço, onde a rapidez do serviço, rapidamente acalmava os estômagos famintos, uma grelhada mista muito saborosa onde não faltava a mini no ponto de temperatura ideal, e até a verdadeira sobremesa, lá estava, era desde bolo de chocolate até á gelatina, assistimos ao sorteio mas infelizmente o leitão não nos calhou, bebemos mais umas minis e de certa forma acabámos da mesma maneira das outras, a beber umas minis com pessoal de Cadima só que desta vez no lugar de três éramos quatro. As únicas observações, menos positivas que faço ao passeio são: o enorme empeno que eu trouxe do passeio, a falta de pressão da água para lavar as bikes, e o comportamento menos cívico na parte final de alguns motociclistas, eu sei que são um ferramenta importante, mas arranques de modo a levantar poeira, para quem vem já a arrastar-se faz estragos, mas é como eu digo isto são observações, porque não influência a minha vontade de estar lá para o ano e minha opinião acerca do óptimo passeio que foi.
Estes acabaram por ser para mim os momentos mais marcantes do passeio. De certo há muito mais, e que me estou a esquecer, mas deixo o meu muito obrigado ao Luís pela paciência para aturar os meus esquecimentos, ao João Teixeira e Valadão, agradeço o companheirismo durante o passeio, à organização o meu muito obrigado por levantar um passeio tão impecável, onde incutiu solidariedade e consciência ambiental, e por colocarem meninas tão simpáticas durante o percurso, e aproveito para deixar o meu desejo de melhoras ao atleta dos cagareus que se magoou gravemente, que volte depressa para os trilhos, é o nosso desejo.

Resumindo e concluindo para o ano lá estarei ou para reduzir as 5horas ou só para ir para o segundo reabastecimento.

Assim me despeço, um forte abraço e até uma próxima.

João Paulo



P.S.
Marco se poderes arranja-me o contacto de quem forneceu os queijos e os chouriços.


5 comentários:

Lucas disse...

Valeu a pena a demora , lol
The best , mais nada...

LuisMarques disse...

o Bola..devo dizer que está excelente!!!!! é um verdadeiro jornalista ...lol lol

Paulo Gil disse...

Aí está o que tanto esperava, o fabulástico cronista 'Bola', assim vale a pena ler, lol.... é isso rapaz continua estás quase no bom caminho, lol...

Um abraço e força nas canelas

luisv disse...

É isso mesmo.Tens de dedicar-te ao que realmente sabes("cronar" e pedalar na discontração)que todos os bttistas agradecem.Porque afinal embora pareça,para comer não vales um chavo eh eh eh .lol
Abraço

marco disse...

depois de passar aqui tanta vez a espera desta cronica eis que chega o dia dela :)

mais uma vez o cronista oficial dos bike surfers a descrever ao pormenor o que sentiu e o belo empeno hehehe mas isso nao te preocupes que passa lol

ao que referes na parte das opinioes sim a agua tinha pouca pressao penssa-mos que desse mais mas infelizmente nao deu :( quanto aos motard's foram avisados para nao fazer isso e actualmente disse-mos aos mesmos que isso nao e justo pois se tivesse-mos no vosso lugar nao iria-mos achar graça nenhuma.


Para terminar agradece-mos a vossa presença por ca e deixo o convite para quando ca quizerem voltar marca-se um dia sem pressas nem correrias para desfrutarem ao maximo destas paisagens ;)
Bola fica descanssado que eu trato dos contactos ;) alem de nao ter provado nada disso lol mas nao tarda vou provar la tera que ser hehehe
P.S.:o rapaz que aterrou dos Cagareus ja se encontra em casa depois de dias bastante complicados regressou a casa onde recupera a bom ritmo ;)

Abraço pessoal